Pesquisa ExpressVPN: 71% dos americanos estão preocupados com a forma como as marcas coletam e usam seus dados pessoais

O ExpressVPN, um provedor líder de VPN, anunciou hoje os resultados de uma nova pesquisa. A pesquisa com 1.000 adultos nos EUA com mais de 18 anos, realizada on-line pela Propeller Insights em nome da ExpressVPN em abril de 2018, constatou que a segurança dos dados é a principal preocupação da grande maioria dos americanos, a confiança nas empresas de tecnologia é baixa e a maioria dos americanos são a favor da neutralidade da rede, independentemente da inclinação política.

Confiamos na Amazon (um pouco)

Quase três quartos dos americanos (71%) estão preocupados com a forma como as marcas coletam e usam seus dados pessoais. Os americanos têm a menor confiança no Uber (5%), Snapchat (6%) e Twitter (8%), mas um terço (34%) não confia em nenhuma empresa de tecnologia sua privacidade digital.

As empresas de tecnologia nos quais os americanos mais confiam incluem:

  • Amazônia – 30%
  • Google – 27%
  • Apple – 22%
  • Microsoft – 22%

Apesar do recente escândalo, 19% dos americanos ainda confiam no Facebook.

“Com as manchetes nos lembrando diariamente que as empresas estão coletando nossos dados pessoais e fazendo mau uso ou deixando de protegê-los, não é de admirar que os americanos estejam se tornando mais protetores de seus dados e mais céticos em relação às marcas digitais com as quais fazem negócios”, disse Harold Li, vice-presidente da ExpressVPN. “As pessoas estão realmente acordando para a necessidade de levar sua privacidade e segurança on-line em suas próprias mãos”.

Quase todos os americanos se preocupam com a segurança dos dados

Nove em cada 10 americanos se preocupam com a privacidade online e segurança de dados, particularmente roubo de identidade (54%) e fraude com cartão de crédito (16%).

Mais da metade (55%) também se preocupa em monitorar suas conversas por meio de dispositivos domésticos inteligentes, com os dispositivos Alexa da Amazon, como Echo (29%) e Google Home (25%) no topo da lista..

A maioria dos americanos (68%) sente-se preocupada com a segurança na internet. Em particular, eles se sentem mais nervosos com:

  • Transações bancárias e financeiras – 45%
  • Compras on-line – 15%
  • Usando Wi-Fi público – 15%

Maioria dos americanos desconfia de provedores de Internet e vigilância governamental

Setenta e seis por cento dos americanos também concordam que os provedores de serviços de banda larga não devem ter o direito de vender informações de atividades da Internet dos clientes a outras empresas.

Não são apenas as empresas que estão causando preocupação. Sessenta e um por cento dos americanos estão preocupados que sua privacidade seja comprometida como resultado da vigilância do governo.

“As preocupações crescentes com a segurança e a privacidade online são uma das principais razões pelas quais cada vez mais os americanos estão recorrendo às VPNs”, acrescentou Li. “A criptografia segura de uma VPN ajuda a proteger dados e dispositivos pessoais, seja de hackers em uma rede Wi-Fi pública, provedores de internet que desejam vender históricos de navegação para anunciantes ou programas de vigilância em massa do governo”.

Na semana seguinte à votação do Congresso no final de março para permitir que os ISPs vendessem os dados pessoais de seus clientes, a ExpressVPN registrou um grande aumento na demanda – as assinaturas nos EUA aumentaram 97% mês a mês e 204% ano a ano. A demanda não diminuiu desde então, tornando os EUA um dos maiores e mais rápidos mercados da ExpressVPN.

Maioria dos americanos a favor da neutralidade da rede

A maioria dos americanos (72%) se preocupa com o futuro da internet sem neutralidade da rede. Na ausência de neutralidade da rede, os americanos acreditam que seus provedores de banda larga:

  • Priorize as empresas que pagam para jogar – 80%
  • Forçar os clientes a pagarem mais para acessar alguns sites e aplicativos – 78%
  • Retardar a transmissão de certos tipos de dados – 76%
  • Bloquear determinados sites e conteúdos – 75%

Metade dos americanos afirma que a posição de um candidato em relação à neutralidade da rede influencia seu voto, com o dobro (34%) dizendo que isso afetaria positivamente seu voto do que aqueles que dizem que o impactariam negativamente (16%). O que mais:

  • 59% dos americanos seriam influenciados, com 43% a favor
  • 59 por cento das mulheres americanas não ser influenciado de um jeito ou de outro
  • 57% dos Millennials seriam influenciados, com 35% a favor
  • Apenas 17% dos democratas e republicanos votariam contra um candidato por causa do apoio do candidato à neutralidade da rede  

Cerca da metade dos americanos (49%) considera o serviço de Internet um serviço público, semelhante à água e ao gás.

Kim Martin
Kim Martin Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
follow me